Em novembro passado, ao longo de três dias, a Intoactions, em parceria com a HSM, promoveu o primeiro evento do gênero no Brasil. Um boot camp é uma atividade de imersão feita por um grupo de pessoas com o objetivo de resolver um problema real, e, com isso, no nosso caso, utilizar a metodologia do Design Thinking para gerar alternativas viáveis e exeqüíveis para sua solução.

A Intoactions utiliza como uma de suas estratégias de disseminação do Design Thinking, o chamado PBL, Project Based Learning (ABP aprendizagem baseada em problemas), ou seja, uma metodologia que possibilita às pessoas aprenderem um determinado tema de forma prática e dinâmica, em torno de um problema real e concreto. Esta abordagem pedagógica rompe com o tradicional método expositivo, onde os instrutores passam a maior parte do tempo apresentando, de forma unidirecional e cansativa, os conteúdos a serem tratados.

O PBL encontra suas raízes na teoria do conhecimento, do filósofo americano John Dewey, que, há pouco mais de 100 anos, já declarava que “a escola deve ser menos uma preparação para a vida e mais como a própria realidade da vida”. O método PBL possui uma estratégia através da qual os alunos são confrontados com problemas contextualizados e pouco estruturados, como os que acontecem na vida real, e para os quais se empenham em encontrar soluções significativas. Sendo também um método que ocorre de forma colaborativa em grupos, a Aprendizagem Baseada em Problemas permite que os participantes desenvolvam o pensamento crítico e reflexivo e construam, em conjunto, soluções mais criativas e novos caminhos.

Nota-se que, atualmente, os profissionais precisam se capacitar para fazer frente à crescente complexidade do mercado. Porém, estes mesmos profissionais querem algo diferente, que os envolva e os desafie. Diante desta necessidade de mercado a Intoactions está oferecendo este tipo de capacitação, que traz uma inovação para o mercado local.

O problema a ser resolvido no boot camp, realizado nas dependências da HSM, no prédio do WTC em São Paulo, com o apoio da superintendência do Shopping D&D, tinha o seguinte enunciado: Como podemos melhorar a experiência das pessoas que utilizam a praça de alimentação do referido shopping durante o horário de almoço? Começamos as atividades numa segunda feira, com o grupo trabalhando, desde o início, com as ferramentas do Design Thinking, principalmente a prototipagem, que atua diretamente nos modelos mentais dos executivos participantes do evento. A vantagem do boot camp ter sido realizado no próprio prédio do WTC é que os participantes puderam descer do quarto andar do prédio diretamente para a praça de alimentação e observar os usuários, entrevistá-los e vivenciar o problema. O processo de Design Thinking foi aplicado em 4 fases: entendimento do espaço do problema, reenquadramento do real problema, geração de alternativas de soluções, e, finalmente, a tangibilização das melhores ideias, através de protótipos e testes. Vale salientar que uma das características dessa metodologia é investir a maior parte do tempo no entendimento do real problema a ser resolvido. É nessa fase que residem as maiores oportunidades de inovação. No terceiro dia, após diversas iterações do processo, cada um dos três grupos apresentou alternativas de potenciais soluções para o problema proposto inicialmente.

No final do evento foi realizada uma reflexão em grupo para a aplicação imediata das ferramentas de inovação nas respectivas organizações de cada participante. A HSM gravou e documentou diversos testemunhos sobre a dinâmica deste tipo de curso de imersão, que foi muito bem aceita pelos envolvidos. Já temos uma nova data para a realização do próximo Boot Camp de Design Thinking, que ocorrerá nos dias 31 de março, 01 e 02 de abril. Para maiores informações basta acessar este link: http://www.hsmeducacao.com.br/Cursos/Programas-Executivos-HSM/Design-thinking-bootcamp3a-de-insights-e-ideias-para-a-inovacao-e-implementacao/43.

Tags: , , , , | Categorias: , , | Post escrito por: Edgard Stuber