A POLI/USP promoveu a primeira edição de discussões acadêmicas sobre a metodologia do Design Thinking. Foram realizadas diversas apresentações. Reinhold, sócio da IntoActions, trouxe a visão da influência que a Universidade de Stanford exerce sobre o ecossistema de inovação tão invejado do Vale do Silício. Fabrício, representando o Banco Itaú, mostrou alguns exemplos práticos da metodologia.

Edgard, sócio da IntoActions, falou sobre a resolução dos problemas complexos que caracterizam o século XXI. Carlos Teixeira, da Parsons The New School, apresentou o Enterprising Design e Flávia, da Embraer, mostrou como a metodologia está sendo aplicada na empresa. Importante ressaltar que a Embraer será a primeira empresa brasileira a patrocinar um desafio de Design Thinking a ser resolvido por estudantes do curso de Engenharia da Poli e da Engenharia de Stanford no programa ME 310, entre Setembro de 2013 a Julho de 2014. Finalmente, Ulisses, da EACH-USP, trouxe o conceito de project based learning e Design Thinking para a reinvenção da Educação.

Foi um dia muito interessante com várias discussões relativas à criação de valor em produtos e serviços. A POLI, com este evento, lançou uma importante abordagem para uma metodologia que vem sendo utilizada em diversas áreas, tais como: novos modelos de negócios, impacto social, produtos e serviços, saúde, governos e na educação.

Muitas organizações e universidades vêm discutindo as alternativas de aplicação do Design Thinking e o tema já faz parte da agenda da Bill & Melinda Gates Foundation, The Clinton Foundation e The World Economic Fórum. Fica claro que o Design Thinking deixa de ser tratado como um modismo e começa a ser encarado como uma das alternativas que temos para solucionar, através do uso da criatividade e colaboração, os desafios cada vez mais complexos que estamos enfrentando.

Tags: , , , , , | Categorias: , , | Post escrito por: Edgard Charles Stuber