Primeiro duvidar, depois mudar a forma como se encara uma situação e por fim criar uma solução completamente nova. Essas são algumas das ideias defendidas pelo especialista em cenários do Boston Consulting Group, Alan Iny.

Iny comprova sua teoria com exercícios imaginativos como perguntar ao interlocutor como diminuir 95% do tráfego aéreo em cinco anos. Geralmente ele obtém uma única resposta: “é impossível”. Então, ele muda a pergunta para a hipótese “estamos em 2018 e o tráfego aéreo é 95% menor do que o de 2013, como isso aconteceu?”. Com isto, recebe respostas plausíveis e incrivelmente possíveis, pois estimula o raciocínio indutivo e criativo ao invés de o analítico.

Com esse exercício, Alan Iny consegue provar que as pessoas estão acostumadas a pensar como em uma caixa, com respostas e visões prontas e fechadas. Prova também que é possível sair dessa caixa e achar respostas criativas e solucionadoras para os problemas.

O esquema que o especialista propõe é de duvidar sempre, e a partir daí explorar novas opções, divergir a respeito delas, convergir para selecionar as melhores ideias e sempre reavaliá-las, nunca dispensando totalmente a dúvida. Com esse pensamento, é possível treinar o cérebro para pensar fora da caixa naturalmente, instigando seu raciocínio criativo.

 

Fonte: hsmeducacao.com.br/

Tags: , , , , , , , , | Categorias: , | Post escrito por: Editoria