Em função da frequência com que a inovação tem sido mencionada nos meios de comunicação e em todos os tipos de organizações, fica-nos a impressão de que estamos diante da bola da vez. Ainda persiste a ideia de que a inovação esteja ligada apenas à tecnologia, quando, na verdade, inova-se através da resolução de problemas.

Durante o último mês de setembro eu e Reinhold Steinbeck, meu sócio na IntoActions, facilitamos cinco workshops e ministramos três palestras sobre o tema Inovação pelo Design Thinking em São Paulo. Em eventos comos estes, Reinhold e eu temos percebido que diversas organizações, quer sejam empresas privadas ou públicas, da saúde ou da educação, procuram vantagens competitivas, diferenciação e reconhecimento de valor. É claro que todas as empresas e instituições buscam a eficiência e a qualidade.Mas, apenas isto não garante o sucesso.

Neste sentido, devido à crescente complexidade dos ambientes, há uma procura por metodologias que resolvam os problemas atuais e que resgatem a motivação, tão necessária, dos seus colaboradores. Dentre essas organizações preocupadas em trazer inovações com impacto social está o Governo de São Paulo, que planeja  desenvolver serviços que satisfaçam os cidadãos e motivem os funcionários públicos.

Publicarei, nas próximas semanas, rápidos posts com o resumo de cada um dos eventos realizados em setembro.

OBS: atualmente estou focando minhas atividades na IntoActions e vou tentar usar o website da ECS Inovação Comercial como um blog conectado a ela. Pretendo continuar a atuar com a consultoria em inovação utilizando a metodologia do Design Thinking através de workshops e projetos para desenvolver a capacidade inovadora das pessoas. O grande questionamento é: como podemos mudar os modelos mentais das pessoas através do desenvolvimento do trabalho em equipe, incentivando a confiança e a colaboração?

Tags: , , , , | Categorias: , , | Post escrito por: Edgard Charles Stuber