Por Edgard Charles Stuber

 

Tenho percebido um interesse crescente pelos workshops no mercado. No dia 21 de Julho facilitei um evento no Santander Cultural, que vem promovendo atividades paralelas à sua mostra Italian Genius Now Brasil. Tivemos a oportunidade de discutir a Economia Criativa no RS, explorando possíveis cenários futuros. Para este evento, convidamos alguns palestrantes para inspirar os participantes, e adotamos técnicas de ideação a partir de perguntas que formulamos de maneira colaborativa. O resultado foi muito bom, considerando-se um evento de apenas 3 horas de duração. O interessante, no entanto, é perceber como é possível encontrar caminhos alternativos utilizando a inteligência coletiva de um grupo devidamente motivado.

Nos dias 9, 10 e 11 de agosto também participei do conclave nacional do Dream In, um grande workshop que contou com a participação de muitas pessoas para gerarem ideias que possam vir a se tornar negócios rentáveis a partir de necessidades e desejos latentes da população brasileira (http://www.dreamin.com.br/metodo/). A fase de coleta dos sonhos foi feita por 200 estudantes de 6 Universidades espalhadas pelo Brasil que coletaram mais de 400 sonhos que, por sua vez, resultaram em 120 ideias com potencial de virarem negócios.

Vivemos no século XXI, considerado o século do consumo de produtos, serviços e experiências de uma grande parcela da população que não tinha acesso a educação, saúde, transportes e produtos dos mais diversos. Esta nova escala com que nos deparamos coloca em questão a rapidez e eficiência com as quais precisamos inovar. O Dream:In está sendo um protótipo para encontrarmos novas formas de inovar com rapidez e assertividade em resposta às demandas do mundo contemporâneo.

Enfim, a fase do conclave nos mostrou, mais uma vez, como a colaboração e os conhecimentos dos participantes, quando devidamente aplicados, podem gerar soluções fantásticas para a sociedade.

Categorias: , , | Post escrito por: Edgard Stuber